PRINCIPAL
  Bonito HI Hostel
FACEBOOK HI BONITO
HOSTEL BONITO NO TRIPADVISOR
INSTAGRAM BONITO HOSTEL
  Atraes de Bonito
EXPEDIES FOTOGRFICAS - DANIEL DE GRANVILLE
BONITO BIRDWATCHING - TIETTA PIVATTO
  Pantanal MS
  Como Chegar
HOSTEL RECOMENDADO EM CAMPO GRANDE MS
  Contato/ Reservas
  Pacotes
  Eventos
  Filmes/ Movies
BONITO O SEU DESTINO
TUDO LINDO EM BONITO
  Institucional
TWITTER BONITOHOSTEL
BONITO NOTCIAS
  Blog Viagens Nature
BLOG SEM DESTINO
BLOG VIAGEM PELO MUNDO
BLOG A JANELA LARANJA
BLOG JEGUIANDO
BLOG MARCELO KRAUSE
  Blog Aventuras
CHALLENGING YOUR DREAMS
TINGER BRASILIEN-EXKURSION
GIRA MUNDO BY BIKE
PROFISSO: MOCHILEIRO
SOLDIERADVENTURES



Fauna e Flora

Animais, aves e peixes que habitam e embelezam a natureza de Bonito e do Pantanal e poderão, com sorte, serem vistos, pelas trilhas e rios por onde você vai caminhar, flutuar.

Vamos deixar claro que em Bonito a pesca é proibida por lei municipal e a caça é proibida por lei Federal. Portanto, toda a fauna e flora poderá ser vista e fotografada, apenas. Preservamos a fauna e flora da região de Bonito para você.

EM BONITO NADA SE TIRA ALÉM DE FOTOS; NADA SE DEIXA ALÉM DE PEGADAS; NADA SE MATA A NÃO SER O TEMPO; NADA SE QUEIMA A NÃO SER CALORIAS; NADA SE LEVA A NÃO SER SAUDADES.

MEIO AMBIENTE - é o conjunto de condições, leis, influências e infra-estrutura de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas.

ECOLOGIA - É o estudo do lugar onde se vive, com ênfase sobre a totalidade ou padrão de relações entre os organismos e o seu ambiente. Deriva do grego oikos = casa e logos=estudo, ou seja, o estudo do meio ambiente onde vivemos e a sua relação e interação com todos os seres vivos.

Os peixes da região de Bonito e Pantanal que você vai ver com certeza: o mais famoso, o mais lindo é o Dourado, peixe de escamas, considerado como predador - a seguir, foto de um Dourado na nascente do Rio Olho D agua; 

Piraputanga espécie mais abundante em Bonito - na lingua indígena significa peixe do rabo vermelho (Pirapiutã) é peixe de escamas, também predador - imagem de um cardume de Pitaputangas e uma delas saltando fora da água - no Balneário Municipal de Bonito;

Pacú (escamas), Pintado e Cachara ou Surubim que são os mais saborosos da culinária da região (peixes de couro). Mas a pesca não é proibida ? Sim, mas os peixes que você vai saborear vêm de criações em cativeiro e/ou dos rios do Pantanal, onde são pescados legalmente nos períodos permitidos * fora do período da Piracema. Abaixo uma foto de um Pacú feita na flutuação no Rio Olho D agua em Bonito;

 

Curimbá ou Curimbatá também é uma espécie abundante em Bonito e no Pantanal, conhecidos como peixe faxineiro dos rios. O Mato Grosso, peixinho vermelho com pinta preta, é um dos mais lindos para ser observado nas flutuações nos rios de águas cristalinas de Bonito - a seguir, um cardume de Curimbatá no Rio Olho D agua que faz divisa entre os municípios de Bonito e Jardim, no MS;

Abaixo o o peixinho denominado de Mato Grosso...

...e a seguir, a foto de um Pintado...

Uma das espécies mais temida por todos é a Piranha mas fique tranquilo porque as piranhas habitam somente os rios do Pantanal e não atacam os humanos, somente outras espécies de peixes. O que você já viu em filmes é puro folclore. O maior peixe da região é o Jau, encontrado apenas nos rios do Pantanal. E muitos outras espécies...

Lontra - (longicaudis) Ordem Carnivora, Família Mustelidae. É um animal de porte médio, mede cerca de 1 m de comprimento total, pesa cerca de 5 a 12 kg - possue atividades diurnas e noturnas, são geralmente solitários, mas podem ser encontrados aos pares. Pode ficar submersa durante 8 minutos - A dieta é constituída de peixes, sendo complementada por crustáceos, anfíbios, mamíferos e aves - seu predador é a Onça;

Agora vamos citar os mais famosos animais das florestas do Mato Grosso do Sul,...         ...começando pela maravilhosa Onça Pintada - também conhecida por Panthera ou Jaguaretê chamada pelos estrangeiros de Jaguar, é o maior felino das Américas. Ela é muito comum nos territórios da Serra da Bodoquena e ainda mais abundante na vastidão do Pantanal do MS e do MT;

 

A familia de Onças na margem do Rio Negrinho no Pantanal do MS

Outras espécies de onça: Parda ou Suçuarana ou Sussuarana (foto abaixo), também chamada de Puma e a também famosa Jaguatiríca. Muitos turistas sortudos ás vezes são contemplados e conseguem ver as onças e até filmá-las e fotografá-las. Quem sabe você será mais um;

A seguir, uma linda Jaguatiríca... 

O Jacaré - Jacaré do Pantanal ou negro, chamado pelo estrangeiros de Aligator ou Caiman, é a espécie de réptil mais abundante - temos certeza de que você vai ver muitos deles no Pantanal. Ôpa ! E você já deve estar temendo os bichinhos ! Não se preocupe porque os jacarés são inofensivos, só vão atacar em legítima defesa, isto é, se você pisar neles ou por qualquer ação que eles se sintam ameaçados - na foto a seguir o Jacaré vai abocanhar uma piranha ofertada por um turista;

Sobre as cobras (snakes) a Sucuri, chamada de Anaconda pelos estrangeiros também habita os rios do Mato Grosso do Sul, mas são inofensivas. Todos os animais só atacam quando se sentem ameaçados. Vindo a Bonito você deve conhecer o Projeto Jibóia que vai ajudá-lo a não ter medo das serpentes, bem como, a não matar os animais, a não maltratar os bichos. Na foto a seguir, Gilberto Modolo, que foi um dos primeiros hóspedes do HI Bonito no ano de 1997, retornou pela 7ª vez, foi conhecer o Projeto Jibóia e pegou na cobra.

A seguir a foto de uma cobra Sucuri, conhecida também como Anaconda

 

A Anta, conhecida pelos estrangeiros como Tapir, é o maior mamífero das Américas, perecido(a) com um porco mas com narina longa, lembrando uma tromba. Um menino de quatro anos de idade quando viu uma Anta em Bonito, disse para o pai: é um dinossáulo papai !

Foto noturna de uma Anta / Tapir

Na região habita também a Queixada, mamífero (Pecari tajacu), espécie de porco do mato, tem o corpo coberto de pêlos grossos e longos, de cor preta na linha dorsal de pescoço até a base da cauda. Possui um faixa de pêlos compridos que se eriçam quando está irritado. Os lábios são brancos e a base da mandíbula e garganta também são;

O queixada vive em matas densas e úmidas, alimenta-se vegetais e animais, sendo difícil estabelecer uma lista dos componentes que constituem seu cardápio principal. Na busca de alimentos, fuça como os porcos domésticos revirando a terra, folhas, troncos caídos, comendo o que vai encontrando.

No Pantanal além da Queixada, existe o Porco Monteiro - se originou dos porcos domésticos trazidos pelos primeiros habitantes da região do Pantanal desde os anos de 1800 - alguns o chamam de Javonteiro, tipo mistura de Javali com Porco Monteiro. Arriscam os historiadores que as primeiras famílias que desbravaram o MS e se instalaram no Pantanal, eram de mineiros e provavelmente uma delas tinha o sobrenome Monteiro. Então dizem que alguns dos porcos domésticos dos Monteiros fugiram e deram origem ao selvagem Porco Monteiro que esta virando Javonteiro;

 

Os pantaneiros atuais costumam matar vez ou outra um Porco Monteiro para saboreá-lo, sobretudo quando estão nas Comitivas de Gado (boiada) levando rebanhos de uma região á outra. É muito comum em alguns períodos do ano a presença das Comitivas de Gado pelas rodovias do MS - os veículos têm que parar e aguardar por um Peão Boideiro que vai á frente dos carros abrindo alas pelo meio do asfalto.

Voltando aos bichos, temos ainda que destacar os Macacos - o Macaco-Prego vivem em grupos de 8 a 20, com hierarquias de dominação separadas entre machos e fêmeas. São curiosos e de hábito diurno. Dizem os biólogos que o nome prego é porque o pênis dele lembra o formato de um prego;

 

O Bugio (também conhecido por guariba, barbado ou macaco-uivador) está entre os maiores primatas neotropicais, com comprimento de 30 a 75 centímetros;

Outro animal interessante é o Lobo Guará ou Lobo Vermelho que esta enquadrado nas espécies em extinção, é o maior mamífero canídeo nativo da América do Sul;

 

Este e outros animais você poderá observar bem de perto na Trilha dos Animais do Parque Ecológico do Rio Baia Bonita a 7 Km da cidade - faz parte do passeio do Aquário Natural. A trilha penetra nas matas ciliares do Rio Baia Bonita, onde podem ser observadas várias espécies de bichos que foram apreendidos pela Polícia Ambiental e seriam presas fáceis se retornassem para a vida selvagem; 

O Veado Campeiro e Veado Mateiro são espécies que também habitam as regiões de Bonito e do Pantanal do MS.

E não poderíamos esquecer dos tamanduás. O Tamanduá Bandeira ou urso-formigueiro-gigante é um mamífero xenartro da família dos mirmecofagídeos, encontrado nas Américas Central e do Sul, chamado pelos estrangeiros de Giant Anteater que significa gigante comedor de formigas - alimenta-se de formigas e cupins, capturado-os com a língua comprida e aderente - também é conhecido pelos nomes de iurumi, jurumim, tamanduá-açu e tamanduá-cavalo;

Tamanduá Mirim pode ser visto alimentando-se no chão ou nas árvores - (Tamanduá colete ou Meleta) é um mamífero encontrado somente na América do Sul em áreas florestais, cerrados e campos;


 

Aves - as mais prováveis de serem vistas por você são:

Tucano (Tucan) - grande de papo branco (ranfhastos tucanus), faz ninhos nos tocos das árvores. Observando o tucano ao vivo e bem próximo, parece que ele é de brinquedo, pela beleza e coloração do seu bico - em Bonito e Pantanal você vai ver muitos tucanos iguais ao da foto a seguir;

Arara (Macaw) - As araras são encontradas nas três Américas desde a Argentina até o norte do México. São 16 espécies de araras, distribuídas entre seis gêneros. O Brasil é o campeão, por ter representantes de todos os gêneros e o maior número de espécies, num total de 13 espécies de araras - em Bonito e Pantanal você poderá ver a Arara Vermelha, a Canindé e a Azul;

Arara Azul

Araras azuis no Pantanal do Mato Grosso do Sul

Arara Canindé


 

Arara Vermelha com uma turista

 O Tuiuiú ou jabiru tem uma envergadura de aproximadamente 260 cm quando adulto, é uma ave das maiores aves da América Latina e realiza movimentos migratórios - considerado como símbolo do Pantanal;

Mutum de penacho

 

Papagaio - não poderíamos esquecer dele. Acho que todos já viram pelo menos um papagaio. Pertencente à ordem dos Psitaciformes, família Psittacidae - mesma das araras e papagaios, vivem cerca de 100 anos, conseguem imitar a fala dos humanos e outros bichos:

 

Maritáca


 

 Ave de hábitos noturnos

Curiango -

Ave de hábitos noturnos de cor pardo-amarelada, com pintas pretas e que mede cerca de 30cm. — Por ter as penas macias, seu vôo é silencioso como o das corujas. Costuma pousar na estrada, da qual só levanta vôo quando uma pessoa ou carro se aproxima, indo pousar, repetidas vezes, mais adiante. Isso lhe valeu igualmente o nome de mede-léguas. Seus ovos, em número de dois, são postos no chão sem maior cuidado, ou no máximo ao abrigo de um arbusto. Espécie próxima é o curiango-tesoura assim chamado pelas longas penas da cauda, às vezes do mesmo comprimento que o do corpo;

 

Coruja -

As corujas são aves tímidas e discretas. Possuem os ouvidos desenvolvidos, bastante aguçados e olhos grandes e fixos. As aves de ordem strigiformes estão divididas em duas famílias e 126 espécies das quais 18 são encontradas no Brasil. As corujas levam fama de agourentas, pois as consideram pássaros de bruxas, mas os gregos consideravam a coruja uma ave de extrema sabedoria. Sua visão ao contrário do que se pensa é melhor do que o das outras aves, sua pupila se dilata para enxergar melhor e à noite não enxergam tão bem. Nenhum animal terrestre tem ouvidos mais aguçados, sem orelhas visíveis elas conseguem ouvir a dezenas de metros de distância. Possuem hábitos noturnos atacando outros pássaros, gafanhotos, grilos, ratos, camundongos... Vivem das caças. As corujas têm alguns inimigos mortais, são eles: os gaviões, as cobras e os gatos do mato. Quando percebe o perigo é capaz de girar a cabeça a 180º e esticar o pescoço para cima. É uma ave bastante concentrada;

Curicáca ou Curucaca despertador

 

Curicaca mede aproximadamente 69 cm de comprimento e 43 cm de altura. É uma espécie grande de coloração clara e asas largas. Durante o vôo exibe grande mancha branca sobre o lado superior da asa, e o lado inferior é inteiramente negro. Bico longo, curvo, pernas altas. Vive em campos secos, pastos (inclusive campos de aviação). Ocorre da Colômbia à Terra do Fogo; também nos Andes; grande parte do Brasil. Alimenta-se de gafanhotos, aranhas, centopéias, lagartixas, cobras, ratos etc. Come às vezes sapos, (Bufo granulosus), pois o veneno desse sapo é mortal para a maioria dos animais quando ingerido (exceto para a boipeva - Xenodon merremii). Para extrair larvas de besouro no solo, mergulha o bico na terra fofa até a base.

Socó-Boi

Características do Socó-Boi: Cor preta por cima, marcado de amarelado, barriga parda. Bico e penas relativamente curtos, inclusive nos adultos. Imaturo tem plumagem amarelo-claro marcado de preto, bico mais curto e mais robusto. Pescoço e manto xistáceos verniculados de amarelo, sendo o desenho formado espaçado, possui área interescapular de plumas de pó. Animal solitário, exibe pose de alerta com pescoço esticado obliquamente e penas estufadas. Pouco se sabe sobre este socó no Brasil, e sobre seus hábitos alimentares, sabe-se que captura insetos aquáticos e pequenos peixes. Vive escondida em vegetação ribeirinha, próxima de cursos d água, sendo considerada uma ave extremamente rara. Comprimento médio de 80 cm.  Habita rios encachoeirados em regiões serranas, ocorrem também na Bolívia, Colômbia, Venezuela, Costa Rica e Brasil: Floresta Atlântica, Rio de Janeiro a Santa Catarina e ao Rio Grande do Sul e Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e também no Nordeste da Argentina.

Garça

 A Garça é encontrada em todo o Pantanal - a garça-branca-grande (Casmerodius albus) vive em grupos de vários animais à beira de rios, lagos e banhados. É migratória, realizando pequenos deslocamentos locais ou mesmo se deslocando para além dos Andes durante os períodos de enchentes anuais. Alimenta-se de peixes, lagartos, anfíbios e insetos.

Siriema

A Siriema, ave típica da região central do Brasil, sobrevive tanto no cerrado virgem quanto nas regiões mais desenvolvidas do país. Ela é uma das poucas aves que possuem pestanas, pode atingir uma altura média de 70 cm, chega a ter 90 cm de comprimento e pesar 1,4kg. Este animal é também adorado pelo homem em razão de sua alimentação. Ingere vermes, roedores, insetos e pequenos répteis, incluindo lagartos e cobras.

Gavião Carcará, Beija-Flor, Ema, Siriema,...entre outros,...

Aranhas (spiders) caranguejeiras - são freqüentemente temidas por causa da aparência e tamanho, muitas vezes chegando a atingir 10 cm de corpo e 30 cm de envergadura mas elas não oferecem nenhum perigo, comem os insetos que são atraídos pela luz das lâmpadas. Os guias de turismo normalmente colocam as aranhas na palma de uma mão para que os turistas façam fotos.

Os Escorpiões quase não são vistos na região de Bonito e do Pantanal.

Os Mosquitos - inesquecíveis insetos !....mas não em Bonito, só no Pantanal eles incomodam um pouco.

Árvores e plantas do Cerrado de Bonito e do Pantanal:

Aroeira é abreviatura de araroeira, de arara e da terminação eira - árvore. É uma árvore quase mítica. Não pela imponência de seu porte, mas pela dureza da madeira, que carrega a fama de ser a mais resistente do Brasil;

O Ipê Amarelo é a árvore brasileira mais conhecida, a mais cultivada e, uma das mais belas, principalmente quando floresce;

 

Ipê Roxo - É o primeiro dos Ipês a florir no ano, inicia a floração em Junho, e pode durar até Agosto, conforme a árvore. É comum na vegetação secundária, abrangendo capoeiras e capoeirões, possuindo como habitat: Floresta Estacional Semidecidul e Decidual Floresta Ombrófila Densa e Mista, Chaco Sul-Matogrossence e Pantanal Matogrossence;

 

O Bacuri ou Acuri é uma das espécies de árvores mais abundantes nas matas do Pantanal e nas matas ciliares dos rios de Bonito, possui inúmeras utilidades, tanto para os animais nativos como para os humanos. Folhas, frutos, caules, sementes, tudo é utilizado para diversas finalidades. Possui flores masculinas e femininas que crescem em árvores separadas - a seguir frutas do Bacuri;

Flor da Guavira – Arbusto silvestre da família das Mirtáceas (a mesma da goiaba, da jaboticaba e da pitanga) que cresce nos campos e pastagens. O fruto, um dos mais característicos do nosso Cerrado, pode ser saboreado in natura, em sorvetes ou na cachaça. A fruta da guavira nasce no mês de Novembro quando há o Festival da Guavira em Bonito;


 

O Carandá é uma planta da família das arecáceas, nativa da ecoregião de Chaco na Bolívia, Paraguai e do Pantanal Matogrossense, lembra muito um coqueiro mas com caule a prumo;

Para mais fotos - Fauna e Flora - visite o site do Fotógrafo de natureza e meio ambiente, Daniel de Granville, que morou em Bonito e no Pantanal, é um grande divulgador das belezas naturais do Brasil no exterior - link a seguir... 

Mata Ciliar

Aproveitamos para elucidar sobre Mata Ciliar e Assoreamento - O nome vem de cílios - os cílios servem para proteger os nossos olhos da poeira e até de pequenos insetos, fazem também uma leve sombra. Daí denominaram as matas que margeiam os rios e as nascentes como matas ciliares porque elas protegem os rios e os mananciais. As matas ciliares seguram as fortes enxurradas provenientes das chuvas, mantem a umidade do solo, fornecem as sobras e não deixam acontecer desbarrancamento das margens através das raízes das árvores, plantas e folhas. Muitas aves e animais habitam as matas ciliares. A destruição da mata ciliar elimina a fonte de nutrientes e de energia do solo, gera o assoreamento do rio e expulsa a vida selvagem. O assoreamento vem com a rápida chegada das águas que geram erosão do solo e com isso o rio enche rapidamente, suas margens vão desbarrancando e o rio vai ficando mais largo e ao mesmo tempo mais raso, os peixes vão desaparecendo e a vida selvagem também. A Mata Ciliar é a vida do rio, o assoreamento é a morte do rio.

O Primeiro Tratado de Ecologia do Brasil

A descrição da fauna e flora brasileiras estão descritas em oito livros pelo italiano Domenico Vandelli que viveu no século XVII

Naquela época, muito antes de existirem as ONGs ambientalistas que disputam políticas que envolvem a Amazônia e outras regiões, um italiano que viveu em Portugal já se interessava por ela e salientava a importância da sua preservação. Esse homem dizia: A natureza é finita, poderá acabar se não for bem tratada. Ele se interessava tanto pela Amazônia que de sua casa em Portugal mapeou a exuberância natural do Brasil sem nunca ter colocado os pés aqui. Era Domenico Vandelli, um médico italiano que nasceu no ano de 1735 e foi morar em Lisboa quando tinha 29 anos. Tornou-se o maior estudioso da fauna e flora do Brasil no período anterior á proclamação da nossa independência.

A história de Vandelli fascinou Anna Paula Martins, dona da editora e do sebo Dantes, em 1999, quando ela esteve na Academia das Ciências de Lisboa.
Aliou-se à historiadora Isadora Travassos já pensando em outro livro, pois estavam lançando naquele ano “Hans Staden”, nova e caprichada edição dos relatos do arcabuzeiro alemão sobre o Brasil do século 16.

O aprofundamento da pesquisa iluminou tantos desdobramentos que, no fim deste ano, as duas começarão a lançar uma série de publicações que inclui uma caixa com nove títulos e um livro chamado “O Gabinete de Curiosidades de Domenico Vandelli”.


Para conhecer toda a beleza das florestas tropicais é necessário penetrar nesses retiros tão antigos como o mundo. Nada aqui lembra a cansativa monotonia de nossas florestas de carvalhos e pinheiros; cada árvore tem, por assim dizer, um porte que lhe é próprio; cada uma tem sua folhagem e oferece frequentemente uma tonalidade de verde diferente das árvores vizinhas. Vegetais imensos, que pertencem a famílias distantes, misturam seus galhos e confundem sua folhagem.  Auguste de Saint-Hilaire, em Voyage dans les provinces de Rio de Janeiro et de Minas Gerais (1830).  

RECADO DA FAUNA E FLORA DO MS aos visitantes: Nós moramos aqui, você é turista

ajbonito@terra.com.br  ou  contato@bonitohosteol.com.br